Novidades na campanha de vacinação contra a gripe em 2013

O Ministério da Saúde anuncia boas novidades para a 15ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza. Com o intuito de proteger os grupos mais vulneráveis e diminuir os casos graves e de óbito, espera-se imunizar mais de 6 milhões de pessoas. E o acesso ficará oficialmente descentralizado e facilitado para os portadores de doenças crônicas e de outras condições, como as mulheres que tiveram filhos até quatro semanas, por exemplo. Eles poderão se dirigir a qualquer uma das 35 mil salas de vacina do Sistema Único de Saúde (SUS) munidos de atestado médico. Além disso, estará incluída a proteção contra o H1N1.

A partir da recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde selecionou como prioritários: os idosos, as crianças com menos de 2 anos de idade, as gestantes, os profissionais de saúde, os indígenas, os presidiários, as mães até quatro semanas após o parto e os portadores de doenças crônicas.

Com a listagem do grupo de comorbidade a ser incluído na campanha de vacinação com prescrição médica, não será mais necessário se dirigir aos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIES) para se vacinar contra a gripe. Agora, no período da campanha, os especialistas de qualquer posto de vacinação do SUS poderão avaliar mais facilmente a adequação da pessoa com o atestado médico à recomendação de uso gratuito da vacina.

Essa lista está dividida em categoria de risco clínico e definição. Por exemplo, na definição da categoria doença respiratória crônica, estão: asma em uso de corticóides inalatório ou sistêmico (moderada ou grave), DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), bronquioectasia, fibrose cística, doenças intersticiais do pulmão, displasia broncopulmonar, hipertensão arterial pulmonar, e crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade. Entre as demais categorias do grupo de comorbidade: doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença hepática crônica, doença renal crônica, diabetes, obesos, transplantados, pessoas com Síndrome de Down, doença neurológica crônica, imunossupressão, além das puérperas até quatro semanas após o parto. Todas com suas respectivas definições.

Texto de caráter informativo. Consulte um especialista.
Fonte: Alergistas da Clínica Pró-Imuno, de Botafogo, Rio de Janeiro.
Imagem: http://phil.cdc.gov/